Sábado, 14 Janeiro 2017 09:09

Lins recebe manifestantes para debater preço da passagem Destaque

NOTA - No terceiro ato contra o aumento da tarifa de ônibus, um grupo de cerca de 200 pessoas exigia a revogação imediata do reajuste. No final de Dezembro as tarifas foram reajustadas de R$3,80 para R$4,20 (representando um aumento acima da inflação do período).

O ato partiu do largo de Osasco e rumou para a prefeitura. Solícito, o prefeito Rogério Lins aceitou receber o grupo na Sala Osasco e -em meio a várias falas e interrupções- garantiu que o diálogo seria mantido.

Para o prefeito, a eventual redução seria fruto de uma discussão ampla -envolvendo as empresas Urubupungá e Viação Osasco, além da necessidade de documentos que ele ainda não teria à disposição.

Ao abrir o diálogo, Lins pediu que se formasse uma comissão para continuar as discussões em sua sala, ainda na noite de ontem.

Entre os representantes dessa comissão estão membros da UJS (União da Juventude Socialista, braço do PCdoB), um do PCB e um do PSOL. Além dos partidos, também foram aceitos um membro do Coletivo Pneu (grupo de jovens independentes) e um membro do OCA (coletivo Osasco Contra o Aumento, precursor dos movimentos contra aumento da tarifa de ônibus).

A Mídia Independente de Osasco foi impedida de acompanhar as discussões. A imprensa local não pôde acompanhar a reunião.

Nenhuma decisão sobre a revogação do aumento da tarifa foi anunciada. Uma nova reunião está marcada para a próxima quarta-feira.

 

 

Atualização - Na tarde de hoje, 14, o Coletivo de Mídia Independente de Osasco se manifestou através de editorial; Leia a íntegra.

Manifestantes não tiveram resposta alguma, ao serem recebidos por Lins.

Editorial CMIO - Para entender a reunião de ontem entre o prefeito e os jovens que lutam pela redução da tarifa em Osasco, é preciso traduzir para o cidadão os gestos, posturas, palavras e embates.

Na sala Osasco, estavam jovens da UJS (União da Juventude Socialista – braço jovem do PCdoB), do PCB, do PSOL, membros do Coletivo Pneu e do OCA (Coletivo Osasco contra o Aumento da tarifa, precursor da luta contra a mudança das tarifas do transporte coletivo).

 

Entenda a cena de um teatro na Sala Osasco:

  1. No palco o prefeito e alguns membros do Governo em pé, ele à frente sozinho e respondendo aos estudantes, enquanto o restante do executivo, ficava espalhado pelo palco em absoluto silêncio, inertes, sem manifestar gestos de apoio.
  2. Na sala, os estudantes divididos politicamente, revelando pouca capacidade de mobilização, até porque o cenário econômico e político nacional não ajuda em muito.
  3. Entre os estudantes, um homem mais velho de camiseta preta, gritava e propunha coisas, como se fosse para agilizar a reunião e impedir o calor do debate. Em alguns momentos do debate propunha indicações para a reunião que ocorreu depois. Mas a cena parecia ensaiada.
  4. No palco, o prefeito nervoso, que entre muitas falas disse: estou no cargo há 11 dias e temos que esperar respostas da justiça primeiro, para depois vermos o que fazer, mas vamos criar uma comissão...
  5. No palco, o prefeito tinha na mão esquerda um caderninho, onde anotava nervosamente e sozinho as propostas dos estudantes. Ninguém mostrou números sobre as contas do transporte público em Osasco.
  6. No gabinete entraram representantes dos grupos políticos, mas a imprensa ou meios de comunicação da cidade foram impedidos de participar. Assim a cidade, mais uma vez, foi afastada da informação livre e democrática. O que revela a dificuldade desse governo em conviver com as diferenças.
  7. O CMIO faz questão de destacar: não foram apresentados números sobre as contas do transporte público em Osasco. Fator imprescindível para o povo que não suporta conviver com um aumento tão violento em tempos de recessão econômica.

A próxima reunião está marcada para quarta-feira no gabinete. Esperamos que com a presença de jornais e sites livres da cidade de Osasco. Imprensa livre e independente é fundamental para uma cidade e um país democrático.

Editorial do Coletivo Mídia Independente de Osasco.

-----

 

 

 

Via PlanetaOsasco.com

Autor

Redação