Redação

Redação

Página 1 de 27

ALGUMA COISA ESTÁ FORA DA ORDEM...

Nós, do Coletivo Mídia Independente de Osasco, por respeito à opinião pública e à função jornalística, decidimos esperar informações mais detalhadas sobre a tragédia da moradora osasquense em frente à UPA Centro, para então publicar algo sobre.

Segundo informações repassadas por moradores da cidade, a moradora foi levada à UPA Centro por um motorista da viação Urubupungá. Conforme você vê no vídeo(circulando nas redes), através de uma voz ao fundo, ela não foi atendida e, simplesmente, funcionários da UPA mandaram chamar os bombeiros e ligar para o 190, segundo o narrador do vídeo. Enquanto isso, a moradora falecia dentro do ônibus.

Além disso, quando os bombeiros chegaram, teriam se indignado pelo fato de a moradora -já em óbito- estar há menos de 50 metros do corredor central da UPA, sem que tivesse sido levada para pronto atendimento.

A polícia civil lavrou boletim de ocorrência e apura omissão de socorro por parte da UPA Centro. Ninguém do Governo Rogério Lins, responsável pela fiscalização da UPA, se manifestou -à exceção de uma nota online sem assinatura formal.

Leitor, você pode ver três documentos ao final dessa matéria: um vídeo mostrando a moradora já falecida no ônibus (segundo relatos), outro vídeo de um médico pedindo soluções para a saúde de Osasco e uma nota oficial (provavelmente da UPA) lamentando a morte da moradora. Vendo as três, tomamos a liberdade de fazer algumas perguntas, diante das contradições entre elas. Como jornalistas, essa é nossa obrigação.

  1. Qual o nome da moradora?
  2. Quem é o motorista que agiu corretamente ao desviar sua rota e levá-la diretamente para o atendimento da UPA?
  3. Por que a imprensa só obteve retorno das polícias civil e dos bombeiros, e não das autoridades municipais?
  4. Por que a nota oficial só foi divulgada depois do sepultamento de moradora?
  5. Quais os nomes dos cinco médicos que atenderam a moradora e onde estavam no momento do vídeo?
  6. Onde foi atendida? Se foi atendida na UPA, como ficou dentro do ônibus como mostra o vídeo?
  7. Se o mal súbito da osasquense foi na região próxima à UPA, como foi atendida por cinco médicos sem registro no vídeo?
  8. Se encaminharam a senhora para o interior da UPA, por que no vídeo se fala em ligar para o 190?
  9. Se a moradora foi atendida pelos médicos, como se explica o vídeo da senhora morta no corredor do ônibus?
  10. Se vai haver a instauração de uma sindicância, qual o sentido da nota oficial? A administração Lins pode descartar omissão?
  11. Por fim, por que a imprensa local não divulgou um fato tão sério e grave para a cidade? Por qual razão tantas dificuldades para apurar o caso?

As reflexões e conclusões são suas, caro leitor e leitora...

Imagens postadas em redes sociais

Nota oficial:

Com relação ao óbito da senhora, de 70 anos, que viajava de ônibus quando foi acometida por um mal súbito na região próxima à  Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Centro, no município de Osasco, ocorrido na quinta-feira, 7/12, o ISSRV, gestor da unidade, lamenta profundamente o acontecido e informa que a paciente foi prontamente atendida na UPA, tendo recebido a atenção de cinco médicos e realizados todos os procedimentos clínicos necessários.
O socorro, feito pelo corpo de bombeiros, que a encaminhou à UPA Centro, foi realizado pela corporação como é regulamentar em casos em que um mal súbito ocorre dentro de veículo, em trânsito, devido aos procedimentos protocolares que precisam ser seguidos.
No entanto, o Instituto em conjunto com a secretaria de Saúde de Osasco irá instaurar uma sindicância para apurar o fato ocorrido.

 

CMI -     COLETIVO MIDIA INDEPENDENTE

Há 16 anos, tradicionalmente no segundo domingo de dezembro, o evento Cultura na Vila apresenta ações culturais independentes, feiras de artesanato, literatura, gastronomia, moda, música, dança, teatro e circo, além do espaço criança.

Literalmente independente, o evento conta com a organização do artista Erton Morais e o apoio e patrocínio dos próprios artistas.

 

Saiba mais sobre o Cultura na Vila;

O Movimento TroKaosLixo apresenta mais um ‘Cultura na Vila’, Edição 16 Anos!
Muita música arte, cultura, educação, brincadeiras, crianças, amizade, vizinhança e tudo mais de bom!

Evento aberto e gratuito!!!
E não se preocupem com a chuva, estaremos preparados!

PROGRAMAÇÃO
- DJ Vagué
- 13h - Cochicho de Boteco (choro)
- 14h - Orquestra de Violeiros do Brasil (mpb)
- 16h - Classe A Dominado (rap)
- 17h - Baudelaire (post punk)
- 18h - Blue Shot (blues)
- 19h - Duo Libertad (latina)
- 20h - Nagueta (rock)
- das 13 às 20h - Feira de Artesanato Coletivas - Eventos e Multiartes
- Dia todo - Espaço criança com infláveis, cama elástica, recreação e oficinas de arte.
- A qualquer momento: atração surpresa!

O QUE É O CULTURA NA VILA?
O Cultura na Vila é uma iniciativa popular e sociocultural idealizada pelo Movimento Trokaoslixo, que une diversos setores sociais para a realização do tradicional evento de fim de ano no bairro Vila Osasco. Ação que acontece desde 2002, sempre no segundo domingo de dezembro, por meio de planejamento articulado com coletivos sociais e moradores, setor privado e poder público; é realizado um grande evento para o intercâmbio das diferentes culturas do nosso país, através de shows musicais, teatro, dança, artes visuais, brincadeiras, artesanato, gastronomia, estudos sociais, economia criativa, e, principalmente, o compartilhar de saberes, executando assim, o exercício de cidadania em redes humanas, para ajuda e organização popular, com enfoque na valorização do indivíduo pela arte e pela sua própria história.

POR QUE ELE ACONTECE?
Ao longo destes anos, cientes do exponencial aumento do “lixo cultural” e das condições precárias dos grandes centros urbanos, o Cultura na Vila atua a partir de uma rede sociocultural de coletivos e pessoas engajadas em partilhar. Transformamos as situações vividas pelos participantes em conteúdos significativos, promovendo uma ação desenvolvida na rua, local que a partir disso torna-se um espaço de aprendizagem qualificado para contribuir na construção de uma sociedade mais justa, que reconheça e priorize o respeito às diferenças, os dizeres e os saberes de cada um. Todo esse trabalho é realizado num contexto de fusão entre o meio artístico, carente de espaços, e a sociedade, carente de referências positivas de convivência.

O QUE ACONTECE?
Pelo décimo sexto ano consecutivo, a ação promove em Osasco um Grande Evento Sociocultural; desperta nos visitantes e moradores locais o gosto pela arte; dialoga opiniões públicas; aproxima o poder público da comunidade; gera renda ao comércio e empreendedores locais, e principalmente, promove o bom convívio humano e o respeito às diferentes culturas.

 

LOCAL

Rua Cláudio Manoel da Costa, Vila Osasco, Osasco - SP, 06080-060, Brasil

DATA E HORA

Dia 10/12, entre 10h até 22h

A Galinha Pousou

por Marcelo Zero, via e-mail

A mídia e o governo tentam disfarçar, mas o resultado pífio do terceiro trimestre de 2017 desapontou todo o mundo.

O crescimento foi de apenas 0,1% sobre o trimestre anterior, quando a prévia do Banco Central era de 0,58%.

Na prática, isso significa economia estagnada. Mais que “pibinho”, é PIB microscópico, um “nanopib”.

O “nanopib” do Golpe foi aferido após o IBGE revisar a sua série e dessazonalizá-la.

Descobriu-se, com isso, que a “recuperação” econômica, o voo de galinha do início deste ano, impulsionado pelas exportações agrícolas e pela liberação do FGTS, perdeu força. A galinha pousou, como mostra o gráfico a continuação.

Neste ano, ao contrário das previsões panglossianas dos apoiadores do Golpe e da sua ultraortodoxia, o crescimento ficará abaixo de 1%. Zero vírgula alguma coisinha ridícula. Um “nanopib” anual.

A mídia e os “especialistas”, no entanto, tentam disfarçar o desastre com contorcionismos lógicos e sofismas que fariam corar Górgias.

Falam do crescimento de 1,2%, neste terceiro trimestre, do consumo das famílias, como se isso fosse algo extraordinário.

Porém, no acumulado do ano, o consumo das famílias acumula um aumento irrisório de 0,4% sobre o mesmo período de 2016, o qual foi um período terrível, um fundo de poço abissal.

Comemora-se, assim, algo menos pior que o desastre total. Comemorar um resultado desses é como comemorar Nagasaki depois de Hiroshima, pois a primeira matou menos que a última.

No acumulado do ano, os investimentos, a formação bruta do capital fixo, continua fortemente negativa, mesmo com os esforços desesperados dos golpistas para vender a estrangeiros tudo o que for possível: pré-sal, Petrobras, Eletrobrás, jazidas minerais, terras.

Tudo a preços de liquidação da soberania. Ressalte-se que, em relação ao mesmo trimestre do ano anterior, a formação bruta de capital fixo caiu 0,5%

Quando se analisa o crescimento por setor, vê-se que apenas a agropecuária apresentou crescimento expressivo, impulsionado, sem dúvida, pelas exportações de commodities agrícolas, que tiveram boa recuperação, e pelas ótimas safras deste ano.

A indústria e os serviços, apesar dos soluços recentes na indústria de transformação e no comércio, continuam em situação negativa, no acumulado do ano. Assim, não fosse a performance da agropecuária, teríamos um PIB negativo, em 2017.

Agora, imagine o leitor se estes “números extraordinários”, comemorados efusivamente pela mídia que apoia o golpe, tivessem sido obtidos na época de Dilma ou Lula.

Haveria, é claro, um oceano ácido de críticas e previsões sombrias sobre o governo “incompetente” e seus “pibinhos”. Essa mesma mídia que hoje aplaude um crescimento de 0,1% foi a mesma que chamou um crescimento de 2,7% de “pibinho”. Essa mesma mídia, que dizia que o “ciclo do crescimento baseado no consumo estava esgotado”, hoje comemora um crescimento do consumo das famílias de 1,2%%, no terceiro trimestre, e de ridículo 0,4%, no acumulado do ano.

Essa mídia hipócrita, que desdenhava dos 22 milhões de empregos formais gerados nos governos do PT e do maior processo de distribuição de renda da nossa história, que resgatou dezenas de milhões da miséria e tirou o Brasil do Mapa da Fome, hoje aplaude a pequena queda no desemprego baseada, em praticamente 100%, na geração de ocupações precárias e informais, no trabalho de conta próprias e de empregados sem carteira de trabalho e sem direitos.

Aplaudem, desse modo, a precariedade laboral e o fim dos direitos trabalhistas. Comemoram as demissões dos trabalhadores com carteira e sua transformação em motoristas de Uber e vendedores de quentinhas.

Observe-se que, ao longo dos governos do PT, a formalização no mercado de trabalho aumentou de apenas 45,7%, em 2003, para 57,7%, em 2014.

Contudo, os “especialistas” criticavam o aumento dos “custos do trabalho”.

Mas a verdade é que o Golpe e sua política ultraortodoxa não serão capazes de gerar um crescimento sustentável e socialmente inclusivo. Com essa política irracional e de austeridade suicida, o Brasil só terá voos de galinha, com aumento da pobreza e da desigualdade.

As privatizações, a venda predatória do patrimônio público e o setor externo não trarão o crescimento sustentado e inclusivo de volta.

Ao contrário do que se diz, o principal fator para o desenvolvimento brasileiro nos tempos dos governos do PT, foi o mercado interno de consumo de massa, não o ciclo internacional das commodities. As exportações como um todo representam cerca de 11% do PIB e a das commodities, em particular, apenas 6,8% do PIB. Em contraste, o consumo das famílias representa mais de 60% do PIB.

Portanto, o crescimento sustentado passa necessariamente pela distribuição da renda e pela geração de emprego de qualidade, com bons salários e todos os direitos assegurados.

Passa também pela ampliação do Estado de Bem Estar, pelos programas sociais e pela Previdência como instrumento de inclusão social. O crescimento sustentável num país continental como o Brasil, que tem a quinta população do mundo, passa, como diz Lula, pelo processo de colocar dinheiro nas mãos dos pobres.

Contudo, o governo golpista está fazendo o contrário de tudo isso. Está, na verdade, tirando dinheiro das mãos dos pobres e colocando-o nas mãos dos ricos.

É um Robin Wood ao contrário. Promove a volta da informalidade e da precariedade laboral, com a Deforma Trabalhista, e arruína os mecanismos de inclusão social e atenuação da pobreza, com sua infame Reforma da Previdência, que afeta, sim, os mais pobres.

Além disso, o governo golpista está destruindo todos os mecanismos estatais de estímulo à economia. A surreal Emenda Constitucional nº 95, que contrai os investimentos públicos por 20 anos, algo que não existe em nenhum país do mundo, impede o Estado de retomar seus imprescindíveis gastos e destrói os orçamentos em Ciência e Tecnologia, Saúde e Educação.

O fim da política de conteúdo local da Petrobras elimina os empregos na cadeia do petróleo. A ofensiva contra o BNDES, nosso grande banco de desenvolvimento, impede os investimentos pesados de longo prazo em infraestrutura.

Com essa política irracional e destrutiva, não há como se gerar um novo ciclo de desenvolvimento sustentável.

Não há nenhum país do mundo que tenha conseguido crescer, de forma sustentada, com austeridade permanente e desinvestindo em sua população, como pretende o governo do Golpe. E não há também nenhum país do mundo que tenha conseguido crescer com taxas de juros extorsivas como as nossas e câmbio tão sobrevalorizado como o do Brasil.

Dessa maneira, restará a nossa mídia golpista e aos seus “especialistas” hipócritas comemorar “nanopibs” e voos de galinha.

“Nanopibs”, com “nanoempregos”, “nanosalários” e “nanodireitos”, num “nanobrasil”.

 

Lula lidera, e Bolsonaro se consolida em 2º, aponta Datafolha

por Igor Gielow, Folha de S. Paulo

Luiz Inácio Lula da Silva (PT) fortaleceu sua liderança e o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) está isolado em segundo lugar da corrida presidencial, segundo indica pesquisa do Datafolha.

A constatação coincide com o momento em que o PSDB tenta emplacar o nome do governador Geraldo Alckmin (SP) como o candidato das forças de centro no pleito de 2018, contrapondo-o aos extremos da esquerda e direita, personificados respectivamente em Lula e Bolsonaro.

Além disso, o apresentador Luciano Huck, alvo de especulações para a mesma tarefa, disse que não será candidato.

O instituto fez 2.765 entrevistas entre 29 e 30 de novembro, em 192 cidades. A margem de erro é de dois pontos para mais ou menos.

Como houve alterações em cenários, só é possível comparação com levantamentos anteriores nas simulações de intenção espontânea de voto no primeiro turno e estimuladas no segundo.

O tucano, hoje, está em quarto lugar na disputa em um cenário com a maior gama de candidatos colocada, empatado numericamente com o ex-governador Ciro Gomes (PDT, 6%) e tecnicamente com o ex-ministro do Supremo Joaquim Barbosa (sem partido mas cortejado pelo PSB, 5%) e o senador Alvaro Dias (Podemos, 3%).

Aqui, Lula lidera com 34% e Bolsonaro o segue com 17%. Marina Silva (Rede) aparece numericamente acima do pelotão encabeçado por Alckmin e Ciro, mas tecnicamente empatada com ambos.

Na simulação em que o nome de Alckmin é substituído pelo do prefeito paulistano João Doria, que disputava a indicação tucana, o desempenho é semelhante.

Quando a intenção de voto é questionada sem apresentação de nomes, Lula surge com 17% das citações e Bolsonaro, com 11%. Todos os outros pontuam de 1% para baixo. O “ninguém” tem 19% e não sabem afirmar em que candidato votariam, 46%.

Lula ganha em todos os cenários de segundo turno. Ele ampliou em quatro pontos percentuais sua vantagem, em relação à pesquisa feita no fim de setembro, no confronto com Alckmin (52% a 30%), Marina (48% a 35%) e Bolsonaro (51% a 33%).

O tucano empata tecnicamente com Ciro (35% a 33%) e Marina ganharia de Bolsonaro (46% a 32%).

A candidatura Lula poderá ser barrada, já que está previsto julgamento em segunda instância da condenação por corrupção no caso do apartamento no Guarujá -o petista pegou nove anos e seis meses de prisão.

Se a condenação for ratificada no colegiado, legalmente ele está fora, mas pode haver recursos. O PT acredita ser possível mantê-lo na disputa pelo menos até o primeiro turno, se condenado.

O principal cenário sem Lula vê Bolsonaro com 21%, Marina com 16% e Ciro se beneficiando de votos do petista, com 12%. Alckmin segue com 9%, empatado tecnicamente com Alvaro Dias (5%).

Um dos nomes citados para substituir Lula, o ex-prefeito paulistano Fernando Haddad ficaria com 3%, empatado tecnicamente com a Manuela D’Ávila (PCdoB, 2%). Nas simulações sem Lula, o voto em branco ou nulo sobe bastante, de 12%-14% para de 25% a 30%.

Isso indica um mar de eleitores a serem pescados pelos remanescentes na corrida, se Lula estiver ao fim fora.

Em termos de perfil do eleitor, não há mudanças significativas em relação ao que já foi apurado até aqui.

Lula tem a preferência entre mais pobres, menos escolarizados e moradores da região Nordeste. Bolsonaro faz especial sucesso entre homens, jovens e com renda maior. No estrato mais rico do eleitorado, a disputa é mais pulverizada.


CANDIDATOS ‘ECONÔMICOS’

O ministro Henrique Meirelles (Fazenda) quer ser candidato, mas tem desempenho baixo hoje.

Oscila entre 1% e 2% de intenções, mesmo nível de Paulo Rabello de Castro (PSC), João Amoêdo (Novo) e Guilherme Boulos (cortejado pelo PSOL).

Rabello de Castro é o atual presidente do BNDES e apareceu no programa partidário na TV, há duas semanas, como pré-candidato.

Por Cintia Sales - Pegos de surpresa pela prefeitura, que esgotou em dois dias o lago localizado no Bairro Refúgio dos Bandeirantes este mês, os cidadãos de Santana de Parnaíba protocolaram junto à prefeitura um pedido de informações sobre projetos para a área e licenciamento ambiental para a obra.

O bairro Refúgio dos Bandeirantes está localizado na beira da estrada dos Romeiros, entre Santana de Parnaíba e Pirapora do Bom Jesus, atualmente concentra um número considerável de famílias e comércios, entretanto é conhecido principalmente pelo aterro sanitário da TECIPAR, que recebe o lixo de quase todas as cidades vizinhas. Neste bairro, onde a população acostumou-se a ver e cheirar os caminhões de lixo, existe, há mais de 40 anos um lago de mais de 15000m², o qual atrai visitantes até de outras cidades para pescar, nadar ou simplesmente reunirem-se às suas margens, em torno deste lago diversos comércios se desenvolveram e atualmente são uma das principais fontes de renda do bairro.

Por muitos anos o Refúgio dos Bandeirantes foi um bairro ignorado pela administração municipal de Santana de Parnaíba, porém nos últimos anos, a especulação imobiliária da cidade despertou diversos interesses em áreas ainda em desenvolvimento. O asfalto chegou, e as obras de uma unidade de saúde já se iniciaram, a grande dúvida dos moradores é o que será feito do lago. Segundo relatos, o atual prefeito, Elvis Cezar, teria afirmado durante a campanha de 2016 que o bairro receberia um Parque Municipal e que este incluiria o lago em seu projeto, sendo o primeiro da cidade neste modelo, porém tais palavras permaneceram somente na lembrança dos eleitores, já que a Prefeitura não apresentou qualquer projeto ou fez qualquer declaração de que isto seria de fato realizado.

Na última semana iniciou-se no bairro a construção de uma UBS, uma notícia que deveria ser somente motivo de alegria levantou preocupações quando as máquinas deixaram o terreno da obra e foram em direção ao lago. “Eu vi quando o trator foi até lá e abriu o lago, em meia hora a água tava quase toda seca.”, afirmou um dos moradores. Outros relataram que depois de algumas reclamações as máquinas retornaram ao local e refizeram a barreira, porém de maneira precária, uma vez que a vegetação que estruturava a terra não está mais presente.

João Victor de Morais Leite, morador do bairro e um dos organizadores do abaixo assinado afirmou que o desejo da população não é impedir que as obras aconteçam, mas que os moradores do bairro sejam ouvidos e contemplados. “Nós sabemos do problema que um lago aberto representa para a prefeitura, entendemos a preocupação com doenças e acidentes, mas queremos que todos saibam que secar o lago não é uma solução, nós queremos a construção de um parque em seu entorno, que valorize e proteja o meio ambiente enquanto serve de equipamento de lazer para a população de maneira segura e organizada. Nós sabemos que isso é possível, é só olhar o exemplo do Parque Municipal de Barueri”.

De acordo com a Lei de Acesso à informação, a Prefeitura de Santana de Parnaíba tem vinte dias para apresentar aos munícipes o projeto e o licenciamento ambiental da obra a ser realizada no lago do bairro Refúgio dos Bandeirantes, o tempo está correndo.

Texto e foto Cintia Sales

Colaboração André Bastianon

Capela do Helena Maria. Verde Não... Prefeito

Opinião do professor MARCO AURÉLIO

Procurei a data da criação da primeira Capela do Helena Maria, mas não achei. Encontrei apenas uma foto antiga no Blog do Guaçu Piteri. Os moradores mais velhos contam uma história que a Capelinha foi construída em homenagem a um padre assassinado na região. 

Quando eu era criança, passava por ela várias vezes. E sempre me pareceu uma construção da comunidade, sem a participação do governo municipal. Em 1994, o ex-prefeito Celso Giglio construiu uma nova Capela, a partir de um projeto de Oscar Niemayer, branca, circular e cheia de curvas, uma marca do nosso maior arquiteto brasileiro. 

Nesses mais de vinte anos, nenhum governo teve a cara de pau de mudar a cor da Capelinha.  Até porque a cor branca nos passa a ideia de uma imagem sagrada, como se flutuasse no lugar onde está.

Se a gente olhar as duas imagens, vamos perceber que Oscar Niemayer apresentou um projeto que não descontruísse a ideia original. Uma Capela pequena e simples, mas capaz de absorver toda a religiosidade de uma região, distante de centro, esquecida pelos governos municipais e muito pobre.

A Capela projetada por Niemayer é única no formato e na cor. Por isso, tem sido preservada por todos esses anos.  A última administração recuperou a Capela, manteve-a branca e recuperou o jardim.

No dia 09 de novembro, o jornal da manhã da Globo, mandou um repórter até o Helena Maria para mostrar o abandono, o lixo a de - quebra -  a nova cor verde-clara. A atual administração da prefeitura pintou até a imagem de Jesus Cristo de verde. Um horror, em todos os sentidos.

 

Retrato da contradição

Enquanto a prefeitura destrói um patrimônio histórico e religioso em pleno ano de 2017, a Câmara de vereadores da nossa cidade gasta todo o seu tempo político para restaurar uma Censura parecidíssima com a Ditadura Militar e mostrar para a cidade toda a sua sanha Homofóbica, ao conseguir demitir o secretário da Cultura, a partir dos pretextos de um beijo entre Super-Homem e Batman e de uma peça de teatro de rua, que já foi apresentada pelo Brasil. E, enfim, não focar sua energia na defesa das grandes questões administrativas, econômicas e sociais de Osasco.

Em Brasília, Aécio pensando ser dono do PSDB, vai até à sala do senador Tasso Jereissati e o demite da presidência; logo ele, envolvido até o pescoço nas delações dos irmãos Batista, mas amigo do Temer.

Ontem à tarde, dia 09 de novembro, havia um único servidor da Prefeitura pintando de cinza as pequenas escadas da Capela. Haja paciência e compreensão do povo de Osasco. Chega né!!!!! Vejam as fotos abaixo:

Capela, ontem, dia 09 de novembro, sendo pintada.

Capela, hoje, dia 10 de novembro, cheia de remendos e com Jesus pintado de verde.

Marco Aurélio Rodrigues Freitas é jornalista, historiador, biomédico e professor das redes municipal de estadual de São Paulo. Escreve todas as semanas no site Planeta Osasco. 

Página 1 de 27